TV Globo repudia Bolsonaro por ataques à jornalista Miriam Leitão

Durante um café da manhã, na última sexta-feira (19), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que a jornalista Miriam Leitão integrava a luta armada durante a Ditadura Militar e questionou se a jornalista havia mesmo sofrido tortura durante o regime.

Foto: Reprodução

“Ela estava indo para a guerrilha do Araguaia quando foi presa em Vitória. E depois [Míriam] conta um drama todo, mentiroso, que teria sido torturada, sofreu abuso etc. Mentira. Mentira”, disse o presidente.

Na noite do mesmo dia, a TV Globo divulgou, ao fim do Jornal Nacional, uma “nota de repúdio aos ataques do presidente” após as suas declarações, em relação à jornalista gerarem repercussão.

Foto: Reprodução

A nota da rede de televisão afirmou que a jornalista nunca fez parte da luta armada, que ela integrou o Partido Comunista do Brasil (PCdoB) e trabalhou com propaganda.

“Ela foi presa e torturada grávida, aos 19 anos, quando estava detida no 38º Batalhão de Infantaria em Vitória”, seguiu a nota, lida ao vivo pela apresentadora Renata Vasconcellos.

“No auge da Ditadura de 64, em 1973, Míriam denunciou a tortura perante a primeira auditoria da Aeronáutica no Rio, enfrentando todos os riscos que isso representava na época. Narrou seu sofrimento aos militares e ao juiz auditor, e esse relato consta nos autos para quem quiser pesquisar. A jornalista foi julgada e absolvida de todas as acusações formuladas contra ela pela Ditadura. A absolvição se deu em todas as instâncias”, continuou Vasconcellos.

Veja o vídeo da divulgação de nota de repúdio:

 

O post TV Globo repudia Bolsonaro por ataques à jornalista Miriam Leitão apareceu primeiro em Bahia Política.