Cantora Karina Buhr acusa babalorixá Dito d’Oxóssi de extorsão e estupro

Foto: Reprodução

A cantora Karina Buhr afirmou ontem (23), em publicação na plataforma Medium, ter sido estuprada e extorquida ao longo de quatro anos pelo babalorixá Expedito Paula Neves, o Dito d’Oxóssi, líder de um dos mais conhecidos grupos religiosos do Nordeste.

Neves, que também era compositor e vocalista do afoxé Ylê de Egbá, morreu no dia 15 de dezembro, aos 58 anos, após parada cardiorrespiratória.

Buhr afirma que decidiu trazer a história a público em dezembro do ano passado, quando surgiram dezenas de denúncias de abusos sexuais do médium João Teixeira de Faria, o João de Deus. O Ministério Público de Goiás diz ter recebido 350 relatos de abuso sexual do médium. Ele foi condenado nesta semana a 19 anos e 4 meses de prisão por crimes sexuais.

De acordo com o Metro1, a cantora diz que denunciou os estupros ao Ministério Público de Pernambuco há cerca de um ano, quando prestou depoimento para a promotora Henriqueta de Belli. Contudo, afirma não ter assinado o termo de declaração para dar entrada no processo por temer retaliações.

O post Cantora Karina Buhr acusa babalorixá Dito d’Oxóssi de extorsão e estupro apareceu primeiro em Bahia Política.